Home Brasil Bairro da Liberdade, SP: Guia do que fazer na região

Bairro da Liberdade, SP: Guia do que fazer na região

por Flávio Mendes
Homem sentado de frente a loja no Bairro da Liberdade em São Paulo

O bairro da Liberdade é o lugar onde você vai conseguir mergulhar de cabeça na cultura oriental. As ruas são decoradas com lanternas japonesas e a arquitetura remete ao Japão. Ainda assim existem vários mercadinhos e restaurantes orientais. Por isso e muito mais, esse é um lugar que com certeza não pode ficar fora da sua lista do que fazer em São Paulo.

Se engana quem pensa que o bairro da Liberdade – SP é apenas japonês. Hoje em dia podemos dizer que ele é oriental, já que chineses e coreanos começaram a compartilhar do mesmo espaço com o passar dos anos. Sendo assim, neste artigo iremos falar tudo sobre o bairro da Liberdade, o que fazer por lá, além dos melhores lugares para comer e fazer compras.

História do Bairro da Liberdade e a imigração japonesa

O Japão ficou fechado por mais de 250 anos durante o período Edo. Durante todo esse tempo, o Japão produzia tudo que consumia através da mão de obra local, ou seja, nada precisava ser importado ou exportado do país.

Com o fim desse regime e a modernização da mão de obra que foi substituída por máquinas, muitos japoneses perderam seus empregos. Sem falar que eles não conseguiram arcar com as dívidas e os altos impostos do país. Até então essas dívidas eram pagas com parte da produção agrícola, essa que tirou o trabalho de muita gente.

Assim, o próprio governo japonês incentivava famílias de japoneses a migrarem para países como Estados Unidos, Brasil, México, Coréia e Taiwan, por exemplo. Ao mesmo tempo, o Brasil precisava de pessoas para trabalhar nas plantações de café, pois a Itália proibiu a emigração de italianos, que nessa época supriam a mão de obra. Então viu-se uma oportunidade para o Japão enviar cidadãos necessitados e para o Brasil em receber mão de obra.

A imigração japonesa no Brasil começou em 1908, com a chegada do navio Kasato Maru no Porto de Santos. Nele vieram pouco mais de 700 pessoas, mas nos anos seguintes mais famílias de japoneses ainda migraram do Japão. Estima-se que até 1940 mais de 200 mil japoneses já tinham emigrado do Japão para o Brasil.

Inicialmente o intuito era enriquecer no Brasil e retornar ao Japão, mas os planos foram impedidos para muitos porque houve a chegada da primeira e segunda guerras mundiais. Na década de 60, muitos japoneses começaram a sair dos trabalhos na lavoura e habitar as grandes cidades.

No entanto, o bairro da Liberdade começou a ser povoado por japoneses desde a década de 30. Mais de 600 pessoas moravam na época, em porões de casas na Rua Conde de Sarzedas, pois era mais barato para alugar. A localização foi escolhida devido a ser no centro da cidade, o que facilitava a locomoção até o trabalho.

Com muito trabalho, famílias de japoneses conseguiram finalmente ganhar dinheiro e adquirir os primeiros pedaços de terra que deram lugar a muita coisa na região mais oriental de São Paulo. Temos por exemplo, escolas japonesas, templos, mercados e restaurantes que começaram a dar cara japonesa para a Liberdade.

A história está bem resumida, mas é bem interessante. Nesse meio tempo os imigrantes japoneses acabaram sofrendo muito preconceito por conta dos governos das décadas de 40 e 50. 

Mesmo assim eles lutaram e criaram a maior comunidade japonesa fora do Japão. Estima-se que hoje em dia existam mais de 1,5 milhão de japoneses e descendentes no Brasil, a maior comunidade japonesa fora do Japão.

Como chegar no Bairro da Liberdade

Praca-de-Liberdade-SP
Praça da Liberdade

O bairro da Liberdade fica no centro de São Paulo, entre os bairros da Sé, Aclimação e Vila Mariana. É de fácil acesso para quem sai de qualquer ponto de São Paulo, pois tem uma estação de metrô chamada Japão-Liberdade, na linha 1 azul.

Como o bairro da Liberdade é comprido, ainda dá para descer uma estação antes ou uma estação depois, na estação São Joaquim ou , respectivamente. Portanto, a melhor forma de chegar à Liberdade é de metrô, já que tem 3 estações no bairro. 

Para quem vai de carro precisa encarar o trânsito que faz na região, além de ter que pagar caro para utilizar os estacionamentos. Se mesmo assim sua opção for utilizar o carro, a dica é tentar estacionar um pouco afastado da Liberdade ou da Sé, por exemplo.

Hotéis no bairro da Liberdade para se hospedar

Existem algumas opções de hotéis no bairro da Liberdade em São Paulo, contudo, recomendamos passar pelo menos uma noite por lá, para poder curtir o dia e a noite na região. Pensando assim, há opções de hospedagem na Liberdade e nos arredores, como o bairro do Bixiga, na Sé e Aclimação.

Nomah Liberdade: É um estúdio completo, com direito a quarto, sala e banheiro. A nota é ótima pelo Booking e a localização nem se fala. Tem cama, tv, mesa de trabalho, cozinha americana equipada com geladeira, fogão e todos os utensílios. Ainda conta com uma varanda com vista do bairro. Veja fotos e os preços atualizados.

Kyoto Hotel: Fica bem de frente para a Praça da Liberdade, com ótima localização a todos os pontos do bairro da Liberdade. Os quartos são bem simples, mas o hotel tem nota muito boa no Booking. É equipado com cama, tv e frigobar. Veja aqui os preços atualizados.

Hospedagem: Veja todas as opções de hospedagem no centro de São Paulo.

Onde comer no Bairro da Liberdade

Talvez comer seja o que 80% das pessoas que visitam o Bairro da Liberdade procuram. Dessa forma, listamos algumas opções de comida japonesa para experimentar durante sua visita.

Feira da Liberdade

Feira-da-Liberdade
Feira da Liberdade em São Paulo

A feira da Liberdade é um ótimo lugar para provar um pouco da culinária japonesa. Nas barraquinhas que tem na feira você poderá comer os tradicionais pastéis de feira. Contudo, o que faz mais sucesso talvez sejam o tempurá, o takoyaki e a guioza que você deve provar.

A barraca Yamaguchi vende um misto de frituras diversas. Nela você encontra os espetinhos em formato de bolinhos, muito comuns na Ásia. Essas bolinhas são feitas com massa de camarão, polvo ou outros sabores diversos e são fritos. Além disso, você ainda encontra o tradicional tempurá e outros tipos de salgados.

Já no Yakitori você vai encontrar uma infinidade de espetinhos grelhados, assados ou fritos. Agora para quem está atrás da guioza, a Família Nakamura é referência no assunto. Muita gente garante que eles fazem os melhores pastéis de carne cozidos no vapor em estilo japonês que existem em São Paulo.

Na Barraca Oriental você encontra o tempurá, um dos petiscos japoneses favoritos dos brasileiros. No Pastel Lih dá para experimentar pastéis feitos com massas bem diferentes das convencionais.

Na feira da Liberdade você ainda pode encontrar caldo de cana, sucos e muita coisa de feira convencional. Além disso, tem uma parte voltada à artesanatos e produtos japoneses, ótimos para decorar a casa.

  • Localização: Na saída da estação Japão – Liberdade linha 1 do metrô;
  • Horários: Sábados e domingos das 10h às 18h.

Restaurantes no Bairro da Liberdade

Restaurantes-na-Liberdade-Lamen
Lamen do restaurante Tiá Tiá

Há muito o que comer na Liberdade, principalmente quando se trata de comida japonesa, chinesa e coreana. Os pratos mais procurados no bairro da Liberdade são o lamen, o yakissoba e os tradicionais rodízios de comida japonesa. 

Lamen: É o macarrão asiático misturado com algum tipo de carne, alga, cebolinha, broto de feijão e vários condimentos, que criam um caldo muito gostoso. Se você procura onde comer lamen na Liberdade, saiba que as opções são diversas.

Experimentamos o restaurante Tiá Tiá, bem simples, mas que vendia o lamen mais barato que achamos, além de outros pratos. Outra ótima opção fica para o restaurante Kazu, que talvez seja o mais famoso da região. Por fim, indicamos os restaurantes Aska e Momo.

Rodízio de comida japonesa: Um dos pioneiros do rodízio é o restaurante Sushi Isao. A entrada é meio escondida, acessada por um elevador bem apertado, mas o restaurante é grande. Não é barato, mas é o melhor da Liberdade. Em todo caso, há outras opções como o Takô e o Tanka, por exemplo.

Sushi e Sashimi: Existem boas opções para quem quer fugir do rodízio e experimentar algo especial e diferente. Para conhecer um autêntico bar japonês, vá ao Izakaya Issa, pois ele tem um balcão bem legal para beber e petiscar. Além disso, o espaço tem mesa com tatames para uma refeição tradicional japonesa.

O restaurante Kidoairaku foi inaugurado em 1984, sendo uma das referências do bairro. Para ter uma experiência autêntica japonesa, vá ao restaurante Deigo. Ele foi aberto em 1974 por imigrantes japoneses e serve a culinária do país da melhor forma possível.

Pastel: Nossa indicação fica para o Pastel do Yoka, um dos pioneiros da criação do pastel no Brasil. Experimente o pastel de carne, queijo e ovo perfeito. Além disso, eles ainda vendem muitos outros tipos de salgados como esfirras e bolinhos, por exemplo.

O que fazer no Bairro da Liberdade, São Paulo

Portal-japonês-na-Liberdade
Rua Galvão Bueno

Há dezenas de atividades para fazer na Liberdade em São Paulo. São templos budistas, lojas que vendem tudo do oriente, museus, bem como diversos lugares para experimentar o melhor da culinária asiática. 

Dessa forma, se quiser conhecer a fundo, experimentar restaurantes e ainda conhecer outros pontos turísticos na região, recomendamos dormir pelo menos uma noite na região.

Museu Histórico da Imigração Japonesa

Demos uma prévia de como foi a imigração japonesa no Brasil no início desse texto, mas para mergulhar de cabeça na história e conhecer tudo a respeito, recomendamos visitar o Bunkyo.

O museu da imigração japonesa tem um acervo com mais de 97 mil itens que pertenciam a imigrantes japoneses. Dentre os itens estão vídeos, livros, roupas e kimonos, além de ter todas as edições do primeiro jornal japonês no Brasil.

Nele ainda estão expostas roupas de samurai, espadas, réplicas dos navios que trouxeram os imigrantes japoneses ao Brasil, assim como máquinas utilizadas durante o trabalho nas plantações. O museu fica no 7o, 8o e 9o andares do edifício, que ainda conta com biblioteca (agendamento prévio necessário). 

  • Horário de funcionamento: terça a sábado das 13h às 17h;
  • Preço: adultos R$ 16, estudantes, crianças de 5 a 11 anos, idosos acima de 60 anos R$ 8. Às quartas a entrada é gratuita.

Jardim Oriental do Bairro da Liberdade

Jardim-Oriental-da-Liberdade
Jardim Oriental

O jardim oriental é um parque que foi todo projetado no estilo japonês. Dessa forma, ele liga a avenida Galvão Bueno até a Avenida da Liberdade em um área verde no meio de tantas construções.

Para quem está visitando a região, é uma ótima parada para respirar um pouco de ar puro e dar uma descansada para continuar o passeio com as energias renovadas. Apesar de estar meio abandonado por causa da pandemia, acho que ainda vale a visita.

Ele tem um lago cheio de carpas, com caminho de pedras onde é possível caminhar. A entrada do jardim oriental do Bairro da Liberdade é gratuita e funciona todos os dias das 10h às 16h.

Viaduto Cidade de Osaka

Viaduto-Cidade-de-Osaka
Viaduto Cidade de Osaka

A rua Galvão Bueno, que é a principal rua do Bairro da Liberdade, cruza por cima da Radial Leste. Esse viaduto foi nomeado como Cidade de Osaka em homenagem a essa cidade japonesa. 

Talvez seja o melhor ponto para tirar fotos na liberdade, mas prepare-se para disputar o espaço com muita gente. Pessoas tocando instrumentos musicais, há vendedores ambulantes e muitos visitantes procuram um cantinho para tirar a melhor foto com os postes enfeitados com lanternas japonesas.

Templos budistas na Liberdade

Os praticantes do budismo ou da meditação podem realizar a prática em um dos templos da Liberdade. Muitos deles oferecem esse tipo de prática, além de outros esportes como o kung-fu, por exemplo.

Falaremos aqui sobre o principal templo budista do bairro, o Templo Busshinji, ou também conhecido como Comunidade Budista Soto Zenshu da América do Sul. A escola foi fundada em 1955, com a vinda de missionários imigrantes depois do fim da segunda guerra mundial.

O templo começou a ser comandado pelo Superior Ryohan Shingu em 1956. No começo era feito apenas para a comunidade japonesa no Brasil, mas nos anos seguintes muitos brasileiros começaram a se interessar pelo budismo e a meditação.

Às quartas e sábados a partir das 18h acontecem as aulas de meditação Zazen no templo. Outras atividades acontecem com frequência no templo, como aulas de culinária, Ikebana, Sumiê, Baika e Shodô. Além disso, acontecem cerimônias Obon, Ohigan e Kannon.

Contato: [email protected] ou (11) 3208-4515

Compras no Bairro da Liberdade

Compras-no-Bairro-da-Liberdade

As diversas lojas da Liberdade que vendem produtos asiáticos fazem sucesso no bairro. Falo isso porque tem enfeites para casa, petiscos japoneses e comidas japonesas, que são apenas alguns dos itens achados.

Mercados: O Marukai é o mercado mais conhecido da Liberdade. Nele você vai achar vários produtos japoneses, chineses e de outros países asiáticos. São cosméticos, enfeites e comida, é claro. Por isso, recomendo comprar algumas coisas para experimentar.

Para quem quiser experimentar alguns sushis e não pagar tão caro, dá para comprar os oniguiri e outros sushis que são vendidos em unidades. Os bentôs, são um tipo de marmita japonesa, que vem com porções pequenas de sushi e pratos quentes dentro.

Outras opções que vendem produtos parecidos: Kanazawa, Towa, Empório Azuki e Tajimaya que é uma mercearia no estilo japonês, bem interessante.

Mini-so e Korea Mart: São lojas famosas na Ásia, que vendem de tudo um pouco, mas não necessariamente apenas itens orientais.

Shoppings: O shopping Trade center e o shopping Lotte são os principais. Neles você encontra lojas que vendem muitas coisas da cultura oriental, incluindo roupas, enfeites para casa e brinquedos.

Estética: Os países asiáticos são famosos pelo cuidado estético, principalmente da pele do rosto. No bairro da Liberdade não é diferente, já que dá pra achar algumas lojas que vendem os melhores itens para estética. As recomendações ficam para a Ikesaki que possui 2 unidades na Liberdade, a Loretta Farma e a KV Beauty Co.

O que fazer nos arredores do Bairro da Liberdade, SP

Bairro-da-LIberdade

Você também pode esticar seu roteiro e, por exemplo, fazer compras no Brás, que fica bem ao lado. Outras opções de passeio no centro de SP ficam para o tradicional Mercadão de São Paulo. Nele você encontra produtos do mundo todo e que não são achados em qualquer lugar. Os destaques ficam para os laticínios como queijos, presuntos, azeitonas e azeites, além das frutas exóticas. 

Para comprar bijuteria e eletrônicos baratos você pode ir para a Rua 25 de março, o maior complexo de lojas a céu aberto do mundo. Muita gente passa por ali todos os dias procurando produtos mais baratos do que em outros cantos de São Paulo.

Bem ao lado da Liberdade, fica o Bairro do Bixiga, o bairro mais italiano de São Paulo. Aos fãs da comida italiana, é no Bixiga que você vai conseguir experimentar muita coisa em uma de suas cantinas.

Não tão perto, mas na mesma região, fica a Rua Augusta, nossa rua preferida de São Paulo. Nela você acha de tudo, desde galerias descoladas, a restaurantes e bares. Ela é bem comprida, se estendendo para os dois lados da Avenida Paulista.

Por último, você ainda pode conhecer o Marco Zero, onde São Paulo começou a crescer e a Catedral Metropolitana de São Paulo. Ainda tem uma diversidade de prédios importantes como o Copan, o Edifício Martinelli e o Terraço Itália.

Passeios em São Paulo

Agora que você já sabe o que fazer na Liberdade, que tal conhecer e contratar alguns passeios em São Paulo. Abaixo deixamos algumas recomendações e tem até passeio guiado gratuito pelo centro histórico. A Civitatis é uma empresa de confiança e nossa parceira aqui no blog. Pode reservar sem medo!

Leia também

Inscreva-se
Notifique-me
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Nós utilizamos Cookies para melhorar sua navegação pelo blog. Ok, tudo bem O que é Cookie?

0
Vamos conversar? Deixe seu comentário!x